Boson de Higgs

Teóricos de Higgs afirmam que o Universo não deveria existir

Segundo estudos recentes realizados por especialistas em cosmologia ingleses, o universo não deveria existir e sim entrado em colapso milésimos de segundos após o Big Bang.

Robert Hogan, pesquisador e coautor do estudo traçou um verdadeiro paradoxo universal ao afirmar que em seus primórdios, o Universo viveu uma expansão cósmica muito rápida. Esta mesma expansão deveria haver gerado um tremor forte o suficiente para desencadear o colapso do Universo.

Os estudos foram baseados na análise de observações feitas pelo telescópio BICEP2 localizado na Antártica, que em seguida foram comparados com dados hipotéticos baseados no cálculo do aumento cósmico e do Bóson de Higgs. Desta forma, os catedráticos do Kings College de Londres tentaram recriar as condições da inflação cósmica imediatamente após o Big Bang.

A informação fornecida pelas observações do BICEP2 permitem admitir que o Universo sofreu um grande impulso durante a fase da expansão cósmica, já que houve uma intensa variação de seu campo energético que levou o cosmos até o chamado Vale do Campo de Higgs, em apenas uma fração de segundos. Entretanto, para surpresa dos pesquisadores, caso houvesse sido assim, o Universo como o conhecemos hoje, deveria haver entrado em colapso completo instantaneamente.

“Tudo isso significa que temos que precisamos estender nossas teorias ao estudo do por que tudo isto não ocorreu”, afirmou Robert Hogan.

Fonte: RT