criogenia

Cientista alemão vai congelar a si próprio e pretende voltar à vida daqui a 150 anos

Klaus Sames, um professor alemão de 75 anos de idade, pretende congelar a si próprio para despertar em 150 anos. Através de um processo denominado criopreservação, que envolve o congelamento extremo de um organismo vivo para estancar o metabolismo e entrar em um estado de suspensão biológica, o pesquisador de Hamburgo tentará voltar à vida daqui a um século e meio. Primeiro, o corpo será resfriado até alcançar 196 graus negativos. Assim que os advogados envolvidos constatarem o estado de morte cerebral, um grupo de assistentes terá apenas cinco minutos para colocar o corpo do professor em um banho de imersão com 60 kg de gelo. É um ponto crítico: se, por qualquer motivo, os assistentes levarem um minuto a mais, as células do cientista darão início a um ciclo irreversível de decomposição, o que tornará impossível seu retorno à vida. Por último, o corpo congelado será depositado em um refrigerador desenvolvido especialmente para transportar o professor até a cidade de Clinton Township, no estado de Michigan, onde funcionam os laboratórios principais do Cryonic Institute. Em seguida, um grupo de especialistas substituirá o sangue das veias por uma solução salina, de modo que as células do professor sejam congeladas, e, em 150 anos, os profissionais do futuro as revivam. O professor Sames acredita que a humanidade terá esse conhecimento no próximo século e meio. Enquanto isso, os detalhes contratuais, assim como o pagamento de 21 mil euros à empresa congeladora, já foram cumpridos. “Sou 100% consciente do que estou fazendo. Estou bem da cabeça”, afirmou o professor, que passou a maior parte de sua vida estudando a gerontologia. Fonte: Bild

 

 

Imagem: plan58 (Own work) [CC BY-SA 3.0], via Wikimedia Commons