CIENCIA

Chave para a juventude eterna pode estar com os ... vermes!

Um grupo de cientistas norte-americanos estuda o desenvolvimento de um tratamento que duplique o tempo biológico da vida humana. A chave do estudo se encontra na própria natureza, na forma de um pequeno organismo, o verme nematódeo C. elegans, um tipo de rabditoide de pouco mais de um milímetro de comprimento, com capacidade de paralisar o próprio metabolismo celular em determinadas situações, como por exemplo, na escassez de alimentos, conforme observado pelos especialistas da Universidade de Duke, nos Estados Unidos. Mesmo com as funções celulares suspensas, o microscópico organismo consegue se movimentar, mantendo seus órgãos vitais. Seu organismo, entretanto, não se desgasta ou envelhece. Quando sai desse congelamento, o nematódeo volta a se desenvolver, o que aumenta sua expectativa de vida em praticamente o dobro.

Segundo David Sherwood, provavelmente as dietas pobres em nutrientes ativem os mesmos processos em nossas células, em estado de descanso. “De fato, diversos especialistas estão concentrados em encontrar uma maneira de manipular o processo em laboratório com o uso de drogas e tentar obter o mesmo benefício, sem a restrição de nutrientes”, anunciou Sherwood. A descoberta das propriedades metabólicas do C. elegans não apenas serviriam à vaidade ou à longevidade humana, mas também ajudariam no tratamento de doenças, como por exemplo, o câncer. “Um dos grandes mistérios do câncer é a capacidade de suas células hibernarem no organismo durante anos e, de repente, retomar a atividade”, diz Sherwood. “Acreditamos que os processos dos nematódeos que induzem suas células a estados de hibernação possam ser bastante semelhante ao das metástases”, avalia.  

 

   

 

Imagem: Sérgio (Savaman) Savarese (Flickr) [CC BY 2.0 (http://creativecommons.org/licenses/by/2.0)], via Wikimedia Commons