CIENCIA

Estudo aponta que cérebro de homens e mulheres funcionam da mesma maneira

Esqueça qualquer coisa que você já escutou sobre mulheres serem "multifuncionais" ou homens entenderem melhor os mapas: uma pesquisa inédita da Universidade de Tel Aviv, em Israel, atestou que os cérebros humanos não se ajustam às categorias feminino e masculino.

[VEJA TAMBÉM: Machismo e racismo podem ser apagados da nossa mente durante o sono]

Este foi o primeiro estudobuscar diferenças de gênero em todo o cérebro humano. Na conclusão geral, nosso cérebro nada mais é do que um "mosaico", em que as características femininas e masculinas, em sua maioria, se sobrepõem, ou seja, são um grande mix. Os resultados foram obtidos após a análise de 1.400 ressonâncias magnéticas em voluntários de ambos os sexos, de 13 a 85 anos. Foram analisadas várias estruturas, entre elas, o volume de matéria cinzenta e branca e a quantidade de conexões neuronais e espessura do córtex cerebral.

"Cérebros com características apenas femininas ou masculinas são raros. Nossos resultados mostram que, apesar de existirem diferenças relacionadas ao sexo no cérebro, eles não fazem parte de duas categorias distintas", afirmam os pesquisadores no artigo, publicado na revista Proceedings of the National Academy of Sciences (Pnas).

Ainda não se sabe exatamente quais as consequências desse achado científico. Uma delas é que comparar cérebros de homens e mulheres pode ser algo dispensável num futuro próximo.

O estudo foi conduzido por uma equipe internacional de pesquisadores da Universidade de Tel Aviv, do Instituto Max Planck, na Alemanha, e da Universidade de Zurique, na Alemanha.

 

Não perca este sábado, às 22h55
ESTREIA: A MÁFIA E O VATICANO às 22h55

Missas são celebradas nos esconderijos da máfia e famílias que estão longe de serem santas controlam os festivais católicos. Por décadas uma instituição cuja santidade da vida é tudo, está intrinsicamente ligada a uma organização cuja atividade do dia a dia é a morte. O que é oferecido no altar? O sangue dos inocentes. Assista ao vídeo a baixo e não perca, este sábado:

 


Fonte: Veja, PNAS
Imagem: agsandrew/Shutterstock.com